Casei e Mudei – Trazendo um novo membro

Por 29 / 01 / 2012

Depois de um longo período de abstinência informática, retorno para este canto com as minhas epopéias de nova- dona-de-casa/esposa!

E para inaugurar este espaço em 2012, vou falar sobre como foi trazer para casa um novo membro. Não, não estou grávida. Apenas adotamos um animal para nossa família!

Desde sempre fui uma “dog-person”. Na casa dos meus pais, tivemos mais de 15 animais, sempre acolhidos da rua (com exceção de nossa rotweiller, a única que compramos). Com isso, foi muito difícil para mim, morar com meu marido e SÓ! Eu precisava de algo peludo para ganhar cafuné!!!

E foi aí que decidi adotar um animal. Pensei que primeiro seria muito ruim adotar um cachorro, pois meu APERtamento não é grande e cachorros sofrem com a ausência. E foi assim que decidimos adotar uma……gatinha! Entrei no site de uma ONG que atua especialmente em SP e chama-se: Adote um Gatinho. Lá, achei uma foto de uma gata, chamada Beterraba,cuja foto mais parecia uma mugshot de presos americanos. Não resisti aos olhos pedintes dela e fomos conhecê-la num sábado à tarde. Disse para meu marido, que devido a distância da casa da voluntária e a minha, e só adotaria a gata se ela se jogasse no chão, virasse de barriguinha e miasse: “mamãe”. Be careful on what you wish for, diriam os mais sábios. Por incrível que pareça, a gata se enroscou no pé do meu marido e eu tive a certeza que ela era o membro faltante da nossa familia!

Ela chegou em casa na sexta feira seguinte, pois a ONG que leva ela em nossa casa, para verificar se temos telas nas janelas – medida de segurança – e eu me apaixonei…. MAs, como todo filho recém chegado, ela miou o fim de semana inteiro! e eu, acostumada com cachorros, não sabia o que fazer! MAs aí acabamos dando umas gotinhas de passiflorine para ela se acalmar, por uns 3 dias. DEu certo! Aí eu liguei os pontos: Ela não atendia por “Beterraba”. Cantava seus blues à noite. Estava “viciada” em narcóticos. Tinha o “cabelo” preto. Ela era a Amy. Amy Cathouse!

E assim ela está, conosco há 4 meses. Nós, felizes com a “aquisição” e ela, feliz com a família nova!

Agora, algumas dicas para quem está pensando em adotar um animal:

-Eles demoram mesmo para se adaptar à nova casa. Temos que ter paciência e dar a eles o tempo e espaço necessário.

-Gatos não são como as pessoas dizem: eles se apegam muito aos donos, são extremamente carinhosos e adoram cafuné. Apenas menos tempo que os cachorros.

-Não fique com raiva se o animal começar a destruir alguma coisa de sua casa. A Amy começou a enganchar as unhas no nosso sofá. Apenas cobrimos os sofás e cadeiras com panos e o problema acabou. A casa está sã e salva.

-Ame muito seu animal e saiba que adoção é para vida toda! Não existe crueldade e covardia maior do que adotar os animais e depois largá-los como se não tivessem sentimentos.

-Tenha em mente que adoção é coisa séria. Só o faça se estiver mesmo disposta a cuidar do seu animal!

Me diz se dá para resistir a tanta fofura?

Beijos com cheiro de Whiskas!

Carol

http://casoriocountdown.blogspot.com

Seja o primeiro a comentar em Casei e Mudei – Trazendo um novo membro
Deixe seu comentário:





Procurando algo?

Assine nossa newsletter

Instagram