Diga-me com que bolsas andas que te direi quem és…

Por 19 / 08 / 2011

Acessório feminino indispensável, a bolsa não atribui apenas beleza e sofisticação à imagem da mulher. Mas também pode ser decisiva em uma entrevista de emprego.

O título dessa matéria se baseia em um antigo ditado, muito falado pelos nossos avós e pais, mas é muito pertinente quando aplicado a um dos maiores objetos de desejo das mulheres. A bolsa certa pode levantar até o visual mais simples, mas não se engane. Elas também podem colocar uma produção divina no chão e, ainda, transmitir uma imagem negativa sobre a personalidade de uma pessoa.

Segundo os(as) fashionistas, bolsas muito cheias – daquelas que parecem não fechar –, por exemplo, podem causar a impressão de desleixo e má administração do seu tempo. E qualquer profissional de Recursos Humanos procura no seu comportamento e imagem, informações que não estão no currículo. Por isso, selecionar o tipo de bolsa mais adequada ao biótipo, à ocasião e à roupa pode denotar elegância e bom gosto.

Os especialistas em moda também afirmam que vários estudos em que as pessoas são analisadas conforme as bolsas já foram realizados, e alcançaram alguns resultados surpreendentes. As mulheres que compareciam à entrevista de emprego com bolsas clássicas, de couro (ou material semelhante), em cores neutras eram avaliadas como profissionais que possivelmente sabiam investir seu dinheiro, pois estavam sempre bem apresentáveis. Já as que iam com bolsas da última moda, coloridas ou artesanais eram consideradas incapazes de administrar as finanças.

Você, leitora, pode até achar isso um absurdo, mas tente analisar bem a situação. A bolsa de trabalho, aquela que carregamos sempre, deve ser um investimento duradouro e clássico. E para isso nem é preciso gastar muito, basta apenas fazer da sua bolsa um investimento como outro qualquer, com direito a planejamento orçamentário se necessário.

Assim como o sapato, a bolsa pode elevar e derrubar um look completamente. Diante disso, é muito importante saber usar este acessório de maneira correta em cada ocasião. Mulheres com baixa estatura devem ter muito cuidado com as proporções. É possível equilibrar o volume do corpo com a altura da bolsa. Pessoas que apresentam maior volume na parte de cima do corpo devem usar as bolsas que fiquem na altura do quadril. Se o peso fica na parte inferior, deve ser utilizada uma bolsa mais curta, na altura da cintura.

Uma boa dica para alongar a silhueta são as bolsas de mão, também conhecidas como clutches. Consideradas acessórios clássicos e atemporais, as clutches permitem a criação de inúmeros estilos, passando pelos mais formais até aos casuais.

As bolsas de mão voltaram com tudo desde o ano passado e, atualmente, são vendidas nos mais variados materiais e tamanhos. Se você quer apostar em um visual vintage, as clutches devem ser colocadas como foco da produção. Mas lembre-se que bolsas femininas não precisam ser sempre da mesma cor dos sapatos e cintos.

Bolsas pequenas, médias, com linhas retas ou angulares e com tecidos nobres ou pedrarias, não importam se não forem usadas com o bom senso e de acordo com a ocasião. Sendo que as bolsas do dia a dia continuam grandes, mas sem exageros.

Por Raíssa Daguer

Helen Rauen

Relações Públicas, bancária e auto-maquiadora nas horas vagas. Perfeccionista, consumista, chef de sua própria cozinha e com uma pitada de artesanato na veia.

Confira todos os artigos de AUTOR
Seja o primeiro a comentar em Diga-me com que bolsas andas que te direi quem és…
Deixe seu comentário:





Procurando algo?

Assine nossa newsletter

Instagram