Mães super-protetoras = Filhos sempre doentes

Por 27 / 11 / 2011

24 02 2011 134232 108685353 protetora   istock Mães super protetoras = Filhos sempre doentes

Hoje em dia é comum vermos matérias na TV seguidas falando sobre a importância de se lavar muito bem os alimentos antes de consumi-los – em especial as frutas e os legumes, que costumam ser de consumo mais rápido por nem sempre necessitarem de preparo prévio. Afinal, a maioria recebeu várias doses de defensivos agrícolas que, ora, se matam insetos e outros micróbios, certamente não fariam bem a um humano que ingerisse o veneninho, lógico. Entretanto, algumas pessoas exageram no cuidado – não só nesse, mas em vários outros hábitos do dia-a-dia.

Especialmente nas mães de primeira viagem, é fácil observarmos um comportamento compulsivo de proteção dos pequenos. Não os deixam brincar na grama, nem na terra, nem na areia, nem com animais e estimação, só usam tecidos de algodão, não permitem alimentos com algum componente artificial (como refrigerantes ou salsichas) – às vezes nem açúcar. Esfoliam as maçãs e despois as descascam para só então as crianças poderem comer, impedem a ingestão de chocolates e balas.

Uma coisa é certa: crianças não sabem o que é bom e o que é ruim, e a vigilância dos pais é mesmo necessária. Mas há necessidade de tanto exagero? Conheci uma mulher que esfregava violentamente com água e sabão cada fruta que comprava; depois embalava uma a uma em filmes plásticos de cozinha e só então as colocava na fruteira da mesa, para que seus filhos pudessem comê-las.

Ora, ora… O organismo humano só cria defesas para os inimigos que ele conhece. Se for privado de ter contato com bactérias e vírus, como criará seus anticorpos? Uma pequena curiosidade sobre crianças nascidas na Antártica, que é um ambiente totalmente isolado e livre de vírus e bactérias por causa do frio extremo: assim que elas chegam ao continente, morrem. Sim! Mor-rem. Morrem de doenças tolas, como gripe e resfriado. Por que? Porque elas não possuem uma única defesa sequer, já que viviam num ambiente asséptico até então. Nenhuma das que nasceram por lá sobreviveu, e até hoje.

A lição de moral, divas queridas? Vigiem seus filhos, mas sigam aquele conselho do sabão em pó: “se sujar faz bem”, e é exatamente por isso. Eles terão contato com inimigos e seus corpinhos valentes logo criarão defesas contra eles. Serão menos dependentes de remédios, irão menos ao médico e você se preocupará menos com eles, podendo contar para todo mundo “como meu filho é saudável! quase não adoece!”.

Dê aos seus filhos a chance de aprenderem a se defender.

beatriz2 Mães super protetoras = Filhos sempre doentes

Helen Rauen

Relações Públicas, bancária e auto-maquiadora nas horas vagas. Perfeccionista, consumista, chef de sua própria cozinha e com uma pitada de artesanato na veia.

Confira todos os artigos de AUTOR
Seja o primeiro a comentar em Mães super-protetoras = Filhos sempre doentes
Deixe seu comentário:





Procurando algo?

Assine nossa newsletter

Instagram