Misturinha de Esmaltes: Mistura pra render

Por 23 / 08 / 2011

A idéia não é nova, e minha avó, que tem 82 anos, sempre usou e até hoje não esquece. A receita não está registrada em nenhum livro secreto, mas vem logo à cabeça. A fórmula é simples, e independe de marca. Vermelho rebu com rosa, e o resultado era essa cor que significa tudo e nada ao mesmo tempo: “maravilha”. Ela sempre pedia a misturinha para a manicure, e, em geral funcionava com uma camada de vermelho forte, e uma de rosa por cima. Mas como era uma misturinha muito pedida, a manicure logo começou a produzir a poção mágica dentro do vidrinho de esmaltes, mais prático. Quando alguma cliente pedisse, já estava na mão.

Misturinha de esmaltes: Como fazer

misturinha de esmaltes

Essa misturinha clássica, hoje, já é substituída por uma gama incrível de tons avermelhados e rosados disponíveis no mercado, mas a graça de você mesma produzir sua cor exclusiva ainda faz parte dos hábitos de mulheres brasileiras que gostam de esmaltar suas unhas e garantir um visual diferenciado e personalizado.

Quando a moda dos esmaltes tomou o mundo de assalto – e, em especial, o Brasil (onde mais se pintam as unhas no mundo) – a marca Chanel foi a grande inspiradora de fábricas de esmaltes no mundo todo. Mas até as empresas darem conta da demanda, a solução foi que nós mesmas fizéssemos uso dos nossos caldeirões de bruxa e misturássemos as mais diversas cores para conseguir aqueles tons que brilhavam nas mãos das celebridades: Jade, Particulière, Paradoxal, dentre tantos outros.

Hoje, acredito que as empresas nacionais já estejam mais antenadas com as tendências internacionais e com o gosto das consumidoras. Mesmo assim, a gente sempre quer um vermelho mais escuro, um azul com brilhos, um amarelo menos amarelo… São cores e definições absolutamente subjetivas (tipo “branco sujo”, ou “preto claro”), mas que representam bem essa nossa visão individual sobre as cores. As nossas cores.

esmaltes diferentes cores diferentes

Esmaltes diferentes, cores diferentes, a misturinha de esmaltes é demais.

A misturinha de esmaltes também vale a pena porque, às vezes, compramos esmaltes dos quais não gostamos. Quando vamos pintar a unha, a cobertura fica ruim, rala ou grossa demais, ou a cor na unha não equivale à cor do vidro. Aí a gente fica chateada, encosta o vidrinho em algum lugar, e assim que outra marca lança uma cor parecida, corremos para comprar. Ou então, é a moda que passa, nosso gosto que muda. Eu só pintava a unha de branco e vermelho escuro, depois cismei com roxos e lilases, daí passei para os azuis, e implicava com verdes. Outro dia fui contar, e tenho uns 30 esmaltes verdes diferentes, o que demonstra como essa implicância passou… Para evitar que você vire aloka dos esmaltes, e gaste rios de dinheiro em busca de uma cor ideal, por que não misturar?

Combinando e amando

O básico da mistura é a combinação de esmaltes. Uma camada de uma cor, com outro tom por cima, e você consegue um esmalte novo. Glitters renovam qualquer esmalte, flocados, e alguns cintilantes transparentes também cumprem bem esse papel. As coberturas transformadoras (que a Colorama lançou moda) só repaginaram alguns esmaltes claros e cintilantes que já existiam, mas que – pasme! – descobriu-se que usando-os sobre algum outro esmalte, eles poderiam modificar a cor da base. Coberturas transformadoras furta-cor não são nada diferentes daquele antigo Raio Laser, da Risqué (que não existe mais). Mas isso faz parte do mercado, e nada mais se cria, tudo se copia. A gente é que tem que tomar cuidado para não entrar no especial só por causa de um tom de cor acima ou abaixo (façam o que eu falo, não o que eu faço).

misturando esmaltes

É simples. Segure a carteira e não saia comprando qualquer coisa por aí. Duas combinações que eu fiz e ficaram excessivamente lindas foram usar um glitter (usei o Na Mira 3D, da Impala) por baixo, e por cima aplicar algum esmalte com cobertura transparente, como o Rebu. Fica lindo de morrer. Se você quiser escurecer mais, pode usar antes do glitter, como cor de base, um preto, ou marrom, ou vermelho escuro. A mesma coisa para conseguir um tom de azul fabuloso, foi passar uma camada de Royal (azul bem escuro, serve qualquer um), o glitter (usei um verde, o 3D da Top Beauty), e uma camada do Turquesa, da Lorrac, que é uma marca bem baratinha. E para quem não encontrar esse esmalte da Lorrac, que é uma cobertura meio transparente, pode pegar qualquer azulão escuro e diluir com incolor até o tom desejado. Não tem nada semelhante no mercado nacional, e um esmalte importado sai por uns 20, 30 reais.

Livro de receitas da misturinha

A primeira dica é não jogar fora vidro vazio de esmaltes. Em algumas lojas, vendem, mas você pode pedir alguns vidrinhos para aquela sua manicure amiga (já que a gente raramente consegue terminar algum vidro de esmalte). Limpe o restinho que sobrou no fundo do vidro com acetona (mas não é toda cor que solta facilmente, prefira os menos cremosos ou transparentes, como bases e top coats). Vá colocando o esmalte aos poucos, e nunca faça logo um vidrinho cheio, pois pode não dar muito certo. Algumas gotas, e vá acrescentando outras cores. Mexa com o palito de laranjeira, e, se você quiser, coloque dentro do vidro um parafuso de aço. Acrescente algumas gotas de óleo de banana ou outro diluente, e, antes de usar (se você agüentar), deixe a misturinha descansar por algumas horas.

mistura de esmaltes

Aproveite as dicas para criar cores incríveis de esmaltes para as unhas

Isso vale para qualquer misturinha, das mais elaboradas às mais simples. Se você quiser só que o esmalte fique mais claro, misture com um pouco de branco corretivo. Para escurecer, o óbvio preto. Se você quer entristecer a cor, lance mão do cinza, enquanto o amarelo abre qualquer tom.

Abaixo, duas receitas de misturinhas lindas que pesquei no blog 9ml (www.9ml.com.br):

TEAL (AZUL ESCURO ESVERDEADO)

Para alcançar esse tom, a Loise do blog 9ml misturou Pétala Branca (Colorama), Black (Colorama), Carbono (Colorama), e Azul Cobalto (Impala) (você pode variar as marcas). 2/4 do vidro deve ser preenchido pelo branco, mais 10 gostas do Carbono (que tem um tom esverdeado), e depois mais 1/4 de azul. Se ficar claro, vá acrescentando o preto aos poucos até alcançar a cor desejada.

AMARELO ENXOFRE

Divida o vidrinho em 6 partes iguais e acrescente 3/6 de Amarelo Pop Art da Colorama, 2/6 de Arábia Risqué, 1/6 de Barbarella Impala Gloss. E para diluir a misturinha acrescente uma gota do Silver Shine – Risqué. Essa misturinha quem fez foi a Mônica, do 9ml (www.9ml.com.br).

Eu ainda não testei, mas vou fazer. E você? Gostou? Me conta!

Helen Rauen

Relações Públicas, bancária e auto-maquiadora nas horas vagas. Perfeccionista, consumista, chef de sua própria cozinha e com uma pitada de artesanato na veia.

Confira todos os artigos de AUTOR
Seja o primeiro a comentar em Misturinha de Esmaltes: Mistura pra render
Deixe seu comentário:





Procurando algo?

Assine nossa newsletter

Instagram