Papo de Diva – Com Thalita Lippi

Por 28 / 06 / 2011

(Por Patricia Caprioli)

O nosso “Papo de Diva” hoje é com a atriz e bartender Thalita Lippi, que ficou conhecida pelo grande púlico durante a 8ª participação do reality BBB, na Rede Globo.

“Morena, de volta as origens, depois de 17 anos de ruivisse”.

 

A Diva, que não se considera uma Diva, deu uma entrevista com muito carinho e com respostas muito interessantes. Vocês podem conferir todo o nosso papo, agora.

Além do papo, que está super gostoso, você vai ver fotos de momentos especiais na vida da Diva.

 

Patricia Caprioli – Quem é a Thalita Lippi? Uma menina mulher? Um mulherão sensual de parar o trânsito? Ou tudo junto e misturado?

Thalita Lippi – Sou uma Paulioca sentimental, contraditória, com mais coração do que juízo e com um senso de justiça social fora do comum! Sou justa e ácida!

 

Patricia Caprioli – Você, se considera uma Diva? Por quê?

Thalita Lippi –Nunca me considerei diva! Aliás divas Já não existem, não na minha concepção! Infelizmente o meu conceito de diva, vem do cinema, das atrizes antigas e inatingíveis..q eram quase uma monalisa!

Thalita à caminho do BBB 8.

 

Patricia Caprioli – Você acha que as pessoas, de um modo geral, tem problemas em aceitar essa mulher moderna, linda e de opinião forte, que anda por aí, mundo afora?

Thalita Lippi –As próprias mulheres são as primeiras a se auto-boicotarem! Queremos a antítese do que propomos, ou fingimos propor! Quantas são aquelas que se dizem auto-suficientes mas na primeira oportunidade se tornam dependentes!? Só no meu grupo de amigas posso apontar várias! Mulheres bem-sucedidas, com planos e metas, onde na primeira oportunidade bacana, passam de ativa a passiva! Feminismo existe só até a virgula de um bom partido! Rs

 

Patricia Caprioli – Você tem algum ritual de beleza? Como mantém o corpão?

Thalita Lippi – Puts… Ritual de beleza só mesmo qdo estou em love! Gosto de malhar, dançar e sei comer bem! Não faço muito esforço para ser saudável, e quando quero ficar sarada equalizo alguns hábitos..penso na minha saúde! E a consequência é a estética…Isso porque a genética da família também ajuda!

Thalita em cena com William Vita, no espetáculo “Amor na fotografia”.

 

Patricia Caprioli – Tem algum momento, da sua vida, que você gostaria de mudar? Ou se pudesse voltar no tempo, faria tudo igual?

Thalita Lippi – Sempre preferi me arrepender do que eu fiz! Acho que nunca optei pelo não fazer! E sendo assim, obviamente já me arrependi de algumas coisas. O BBB por exemplo é algo que oscila nesse quesito dentro de mim! Tem horas que ter estado lá foi tudo, tem horas que foi nada! Não costumo ter medo de mudar e acho que muito do ousar arrependimento vem disso! Também não temo mudar de opinião, o que aos olhos de quem não me conhece, ou conhece só em parte, se torna motivo para falta de credibilidade. Eu penso como Nelson rodrigues: toda unanimidade é burra, e toda falta de risco tb!

 

Patricia Caprioli – Não podemos deixar de falar sobre o BBB. Você acredita que ele foi um divisor de águas na sua vida? Qual a melhor e a pior lembrança que você guarda do programa?

Thalita Lippi – Divisor de credibilidade! Sim, fui péssima jogadora e me arrependo de não ter sido dissimulada como me acusaram de ser! Melhor momento foi a prova de resistência que ganhei devido a um jogo de azar entre quem havia permanecido na disputa! E o pior momento foi ter lido uma determinada jogadora de olhos fechados e coração aberto! Deveria ter feito o oposto! Fui seduzida por ela e seu jeito pq acreditava q ela precisava mais da grana do que eu! Burra mil vezes burra!

Com amigos que foram prestigia-la no teatro.

 

Patricia Caprioli – Qual a contribuição que você acha que os Reality Shows tem para a sociedade?

Thalita Lippi – Ainda não sei te responder isso… Acho que a minha visão de ex-participante ainda não me deixa ver o reality como reality! Eu vejo um jogo onde todos querem faturar, desde jogadores, passando pela produção/ direção até a emissora! Talvez se eu soubesse um pouco mais de antropologia do consumo poderia te responder!

 

Patricia Caprioli – Você acha que você tem uma missão nesta vida? Se SIM, qual seria essa missão?

Thalita Lippi – Sim! Pra sempre, desde sempre… E minha visão dessa missão é mostrar, dentro da minha realidade e ciclo social, que tudo pode ter uma perspectiva diferente da imposta/ dita/ ensinada pela sociedade! Eu acredito que posso fazer a diferença ao dar bom dia/ tarde ou noite para um gari que faz parte do meu cotidiano simplesmente porque varre a minha rua! O meu bom dia pode ser estranho para ele a priori pois ninguém costuma fazer isso. Mas depois do 2º ou 3º bom dia, ele saberá que estranho e alienado é quem não o enxerga!

 

Patricia Caprioli – Qual mulher, para você, é uma verdadeira Diva? Por quê?

Thalita Lippi – A última diva q eu considero diva foi lady Di! Além da classe e nobreza, ela me instigava algo benéfico! Acreditava que era inatingível por sua capacidade pro bem! Como monalisa, seu sorriso me prendia!

 

Patricia Caprioli – Em uma frase: Ser Diva é…

Thalita Lippi – …viver uma vida cor de rosa, mas sem deixar de enxergar o p&b da realidade!

Com a familia, no dia da eleição de seu avô, Nelson Pereira dos Santos, na ABL.

 

“É Hora de Brilhar!!!”

Patricia Caprioli,
Paulista apaixonada pelo Rio (e pelos cariocas), Gestora de Marketing e Comunicação, Escritora, Leitora Compulsiva, Palmeirense de Coração e Diva nas horas vagas!
Brilhe comigo!
Mande a sua sugestão, comentário ou crítica para patriciacaprioli@gmail.com

 

Helen Rauen

Relações Públicas, bancária e auto-maquiadora nas horas vagas. Perfeccionista, consumista, chef de sua própria cozinha e com uma pitada de artesanato na veia.

Confira todos os artigos de AUTOR
Seja o primeiro a comentar em Papo de Diva – Com Thalita Lippi
Deixe seu comentário:





Procurando algo?

Assine nossa newsletter

Instagram