Pronta para a próxima?

Por 08 / 10 / 2011

Não existe nada mais terrível e torturante do que a sensação de não existir um dia de amanhã. Sem um amanhã você não pode correr atrás dos seus sonhos, reparar seus erros, fazer o bem a alguém, amar e ser amado. Sem o dia de amanhã muita, mas muita coisa deixa de acontecer, até as coisas ruins, porque, por pior que elas sejam, alguma coisa boa elas trazem, é só uma questão de ponto de vista.

Mas nem sempre é possível enxergar esse dia de amanhã. Ter as portas fechadas nas fuças pelo destino é algo difícil de contornar. É exatamente nesse momento que a gente descobre que não está sozinho. Por pior que você seja, ou acredite ser, sempre vai ter alguém pra ajudar, e isso vai ser sempre uma surpresa.

Quando você perde as melhores coisas que você acreditava ter, ao mesmo tempo, seu dia vira noite imediatamente. Quando você já não é exatamente a pessoa mais equilibrada do mundo, um golpe desses transforma garoa em temporal e brisa em furacão. Às vezes, coisas que em outros tempos você tiraria de letra, superaria rindo da própria desgraça, ganham uma proporção maior que a própria vida. E podem fazer ela deixar de valer a pena tempo o suficiente para ela deixar de existir.

Os problemas não se resolvem da noite pro dia, isso a gente aprende com a vida à base de muita porrada. Como disse um conhecido meu esses dias, “a gente já nasce apanhando pra chorar”. Ninguém disse que seria fácil, assim como não é certo ninguém tentar amenizar o sofrimento alheio transformando dor em bobagem; além de não resolver, o sofredor vai se sentir patético.

O mundo pode desabar ao seu redor, mas aos olhos dos outros ele vai seguir girando. E ele vai, não te tem muita escolha além de sacudir a poeira, ou fugir covardemente ignorando que as pessoas, pelo menos algumas pessoas, ainda acreditavam em você. Sacuda a poeira, mas não se preocupe em ficar limpo – não tem como se passar pela vida e ficar “limpo”, a próxima tormenta está pronta pra acontecer. Ela pode demorar, ela pode ser amena, mas ela vai acontecer porque isso é viver: é estar em constante provação. Ou não chame de vida, chame de “perda de tempo”.

Só experimenta da dor do amor quem se arrisca a amar. Só cai quem se arrisca a subir. Só afunda quem toma coragem de nadar. E quem tem coragem de dar sempre a cara ao tapa não é idiota; é alguém que sabe o que quer levar da vida e sabe que pra chegar lá precisa apanhar muito.

Como diz o ditado “a gente leva da vida a vida que leva”. Nem tudo que estou conquistando eu planejei, nem tudo que estou perdendo foi descuido meu, nem todos os caminhos que trilho fui eu que escolhi, mas tenho um objetivo. Por mais difícil que seja muitas vezes sequer acordar de manhã, eu ainda tenho um objetivo, e isso já é um bom começo.

Helen Rauen

Relações Públicas, bancária e auto-maquiadora nas horas vagas. Perfeccionista, consumista, chef de sua própria cozinha e com uma pitada de artesanato na veia.

Confira todos os artigos de AUTOR
Seja o primeiro a comentar em Pronta para a próxima?
Deixe seu comentário:





Procurando algo?

Assine nossa newsletter

Instagram